Siga nas redes sociais
Inicial » Busca » amor
Postado em 17/05/2020
Por Rainey Marinho

"Poesia"Amor de coqueiro

O vento Nordeste sopra intenso, sacolejando as palhas dos coqueirais, que resignados e a contragosto bailam à lua o seu requebro involuntário.   Triste a sina de ser coqueiro fustigado sem temperança pelo sol, astro-rei do dia e pela negra noite,  que em seu breu traz ventania.   Não tem braços para o enlace, fita abraços aos fins de tarde, sombra e refúgio para afadigado...
Continuar lendo
83 Visualizações
Comentários (1)
Postado em 30/10/2018
Por Rainey Marinho

"Poesia"Amor de coqueiro

O vento Nordeste sopra intenso, sacolejando as palhas dos coqueirais, que resignados e a contragosto bailam à lua o seu requebro involuntário.   Triste a sina de ser coqueiro fustigado sem temperança pelo sol, astro-rei do dia e pela negra noite,  que em seu breu traz ventania.   Não tem braços para o enlace, fita abraços aos fins de tarde, sombra e ...
Continuar lendo
313 Visualizações
Comentários (0)
Postado em 25/09/2018
Por Rainey Marinho

"Crônicas"Amor de mãe - minha Neidinha

Amor de mãe -  minha Neidinha. Hoje acordei bem cedinho, aqui em casa sempre acordamos por volta de cinco da manhã. Também dormimos muito cedo, é um ritmo frenético, afinal são três filhos. Maravilhosos filhos, diga-se de passagem. Pois bem, horas depois, já no trabalho, lá pelo meio da manhã, precisei de meu tablet e não encontrei o aparelho na bolsa. Uso o iP...
Continuar lendo
572 Visualizações
Comentários (0)
Postado em 29/08/2018
Por Rainey Marinho

"Crônicas"O amor

O amor dispensa qualquer verborragia frenética. Amar conjuga-se melhor no silêncio fonético, onde os verbos e as onomatopeias mais irregulares e complexas flexionam-se e exprimem-se com a eloquência do olhar. A derme morna, assemelha-se a uma brisa Nordeste que toca o corpo, produzindo uma osmose de carinho, nos levando aonde o abraço e o entrelaço significam bem mais que um compêndio ou um dicion...
Continuar lendo
174 Visualizações
Comentários (1)
Postado em 07/08/2018
Por Rainey Marinho

"Crônicas"Amar-amor-amando

No Natal algumas pessoas se entristecem, ficam com lembranças doídas de quem partiu ou uma ausência sofrida de si mesmas. Ouvi de uma amiga: “parece que não nos completamos; tudo nos deixa vazios”. Pensei: Logo em uma data tão linda! Nesses momentos precisamos lançar ao nosso interior perguntas que estão vivas em nossos espíritos e com que em algum momento já nos de...
Continuar lendo
193 Visualizações
Comentários (0)